sábado, 28 de março de 2015

A incubadora que todos querem

Pausa para as Selecções, buraco para preencher com especulações e antevisões sobre o mercado. Dois nomes lançados, Lucas Lima e Lucas Silva, exactamente pelos mesmos motivos. Não por manifestas pretensões do FC Porto, mas sim pelo desejo de terceiras partes em aproveitar aquilo em que o FC Porto se distingue: desenvolver jogadores.

Casemiro, parte II
Os clubes habituaram-se a comprar qualidade no FC Porto. Mas conforme já aqui foi explicado, com as restrições do fair-play financeiro vai tornar-se cada vez mais difícil, até para os clubes mais poderosos financeiramente, chegar e bater propostas acima dos 30M€ num clube português. Mas o que é que Atlético, Barcelona e Real Madrid descobriram esta época? Que há outra forma que aproveitar o quanto o FC Porto valoriza jogadores: colocando-os cá a rodar.

A evolução com Casemiro é notória. Por isso é normal que o Real Madrid queira fazer o mesmo com Lucas Silva. Daí a ser um jogador cobiçado por Lopetegui (que já pediu Sérgio Oliveira para a posição 6) e que o FC Porto tenha condições para receber e manter, vai uma grande distância. 

Os empréstimos não são problema desde que se obedeça a um plano lógico e coerente. Não é coincidência nenhuma que só Óliver Torres tenha começado cedo a render desde o início da época: era o único que já conhecia Lopetegui. Campaña chegou tarde, Casemiro e Tello demoraram muito até começarem a render a bom nível. Por isso, o FC Porto só pode ter jogadores emprestados assumindo um plano de continuidade do treinador. 

Podem chegar emprestados se forem peças para encaixar na equipa. Se chegam jogadores não para reforçar uma equipa, mas sim para ajudar a formar uma equipa, não funciona. Na segunda época com Lopetegui, o FC Porto já terá uma base definida. E a partir daí não devem chegar peças para fazer um puzzle, mas sim para encaixar e reforçar alguns sectores. 

(Des)vantagens
Já aqui foi desmistificado que os empréstimos são um problema. Problema são os camiões de jogadores que chegam com contratos de 4 anos e que ao fim do primeiro ano já são para despachar. O FC Porto raramente tem mais do que 5/6 jogadores no plantel candidatos às tais vendas milionárias que permitem à SAD continuar a operar num patamar financeiro superior. Antes de pensar em empréstimos para 2015-16, é preciso definir se o FC Porto terá esse punhado de jogadores para valorizar em 2015-16.

Depois, há o problema dos vencimentos. Não, Tello não ganha 240 mil euros por mês, e bastava o Record informar-se minimamente sobre como funciona o Barcelona para não escrever essa asneira. No Barça os contratos são atribuídos em função de cinco escalões. Tello, quando renovou até 2018, não era titular no Barcelona, logo assinou um contrato de Categoria Base, colocando-o a par de jogadores como Bartra, Montoya ou Rafinha quanto aos vencimentos, na casa dos 3M€ brutos por ano. 

Mas o FC Porto está a investir mensalmente em jogadores que não vão dar retorno financeiro. Podem dar desportivamente, mas assim terá que haver outros jogadores, que o FC Porto controle a 100% na SAD, que o possam fazer (este ano, por exemplo, Danilo e Jackson resolveram esse problema; e no próximo?). Além disso, os empréstimos não deixam de ser despesas (Casemiro, por exemplo, vai custar 600 mil euros no segundo semestre e Cristian Tello 1,5M€). O FC Porto vai ter que reduzir drasticamente os custos com pessoal na próxima época, e a SAD sabe disso, logo não há espaço para grandes aventuras. Quem chegar por empréstimo, que seja para encaixar na máquina de Lopetegui. A época de adaptação e reestruturação é/era esta.

Assim, não
Mas não só o Real Madrid sabe que o FC Porto valoriza jogadores como ninguém. Fundos como a Doyen Sports, que ganhou o jackpot com Mangala e viu o FC Porto valorizar Brahimi em flecha, terão todo o interesse em continuar a recorrer a esta barriga de aluguer. Daí a usar o FC Porto como cartão de visita com números absolutamente pornográficos, fica-se pela tentativa. Uma avaliação de 13M€ por um jogador que não é internacional, não tem percurso nas camadas jovens e que tem um ano de primeira liga brasileira não merece mais do que assinalar a boa disposição. Não estamos em tempo de mais excepções.

Com o anunciado fim da partilha de passes, já a partir de Maio, fundos como a Doyen não poderão voltar a ter percentagens de passes. Logo ou passam a operar como instituições financeiras, com financiamento e direito a percentagens de futuras vendas, ou inventam novos Rentistas que mantenham a totalidade dos passes dos jogadores e depois vendam. O FC Porto jamais poderá ser uma barriga de aluguer nesse sentido. Por isso urge perceber onde começa a parceria, como foi com Brahimi, e onde começa a rentistização. Nem por metade poderíamos ou deveríamos aceitar Lucas Lima. Sobretudo porque já não poderá haver o modelo Brahimi (isto é, o FC Porto ficar com uma percentagem do passe e ficar com opção de comprar mais posteriormente). Agora a Doyen e demais fundos vão querer livrar-se de toda a percentagem e vender directamente tudo. Isto o FC Porto não pode aceitar. Se nem com Lucho González, Lisandro López ou Brahimi o fez, não será com Lucas que isso pode acontecer. No dia em que o FC Porto tiver capacidade para comprar 100% do passe a um fundo, então deixa de precisar dos fundos e pode voltar a negociar apenas com clubes.

Vai sendo tempo de deixar de lamentar o problema (o fim da partilha de passes) e começar a pensar em alternativas. Sobretudo quando já nem jogadores do mercado nacional, que custam pouco acima de meio milhão, estão livres de chegar ao FC Porto sem antes alguém meter a mão...

33 comentários:

  1. O Sergio Oliveira um pedido especial ? Eu até acho que ele se calhar nem vai ficar na proxima epoca..duvido que va ter muito espaço.

    ResponderEliminar
  2. Eu gostava de saber é como para o ano com a saída certa de Jackson, Danilo e Alex Sandro e a mais que provavel saída de Oliver, Tello e Casimiro, 6 jogadores titulares quem os vai substituir? Sérgio Oliveira, André André e mais 2 ou 3?
    Os custos dos emprestados não são apenas os salários mas também os custos dos empréstimos. No caso do Tello li aqui que eram 2M/ano.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Tello está emprestado por 2 épocas

      Eliminar
    2. Que saiba, "garantidas" estão as saídas de Jackson e Danilo, os tais dois titulares que são vendidos por época, depois, pode-se aceitar que também Casemiro e Óliver irão sair, apesar do presidente ter dito que ia tentar a sua permanência, Alex Sandro provavelmente não sairá, e muito menos Tello que tem contrato por mais um ano e que um dirigente do Barça disse que ficaria garantidamente esse ano.

      Eliminar
  3. Não acho que o Sergio Oliveira tenha qualidade para ser titular no FCPorto. Mais valia apostar em talentos como o Ruben Neves.

    Acha que é possivel conseguirmos 100% do passe de Brahimi a um preço inferir a 10M€?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só há direito de compra até 55% por parte do FC Porto. A Doyen tem opção de venda até 80%.

      Eliminar
  4. Saidas "certas" só as de Jackson e Danilo. Alex não é nada certo. Casemiro e Oliver se eu tivesse que apostar diria hoje que ate pode ser bastante certo que não fiquem, mas ate ao verão muita coisa pode mudar. Tello fica de certeza e a noticia do salario dele é falsa como é obvio. Mas sim, tambem partilho o receio que não pode ser "só com" Sergio's Oliveira's e Andre Andre's ( menos o Andre na minha opinião, pois acho que sera um jogador bastante util ), que substituiremos os jogadores a altura. Por um lado não quero entrar em contradição, pois a maioria dos adeptos queixa-se ja a bastante tempo que quer jogadores portugueses, com raça, que sintam e deem tudo pelo clube, coisa que os "estrangeiros" não fazem tanto...não quero agora entrar em contradição, quando o clube parece estar apostar no mercado interno com Hernani, Sergio Oliveira e Andre Andre; por outro lado, acho que como sempre iram ser precisas 2/3 (?) contratações de outro nivel para que o nivel de qualidade do plantel não baixe na proxima epoca. Mas ainda é muito cedo para tentar prever qual será o plantel ou as opções do mesmo.

    ResponderEliminar
  5. Não me acredito nessas aventuras de mais empréstimos na próxima época. Um ou dois talvez, mas penso que os salários teriam que ser suportados pelo clube emprestador.
    Os empréstimo deste ano correram, na sua maioria, bem. Despontaram tarde, mas em grande. Casemiro e Tello têm estado muito bem e o Oliver sempre o esteve, embora tenha ficado demonstrado que o FCP tem muitas soluções capaz, talvez até melhores, para a sua posição. Já se viu o que Madrid não o vende, o que é uma pena. Casemiro, embora tenha evoluido, não vale 8\10 milhoes. O Tello por 7\8 milhoes era de agarrar, mais do que isso é muito dificil para um clube como o FCP, não obstante a qualidade que tem demonstrado nesta reta final da época. Coisa que eu não via nele, nem acreditava.
    Dito isto, acredito num emagrecimento brutal da carga salarial e como tal não me acredito nestes empréstimos com ordenados chorudos.
    Provavelmente esta época irão sair o Danilo e Jackson (quase garantidos), a juntar ao Herrera (hipervalorizado), Quintero (não rende) e A. Sandro (último ano de contrato).
    Para os 2 primeiros temos Ricardo e Aboubakar(Paciencia), no Herrera e Quintero temos o André André e o S. Oliveira (supostamente), mais talvez o Josué, pelo A. Sandro é que é mais complicado. Temos Quinones, Angel e o Rafa. Talvez nenhum dos 3 sirva para já.
    Acredito que o FCP faça um bom investimento no mercado, mas terão que ser sempre jogadores de grande qualidade e cujo vencimento seja menos elevado que os atuais, sempre a bom preço, capazes de gerar grandes mais valias, porém, a base está em casa.

    Joel

    ResponderEliminar
  6. Penso que o FC Porto deveria reservar uma verba substancial para apostar num guarda-redes de topo. Sempre ouvi dizer que nenhuma equipa ganha grandes troféus se não tiver um grande guarda-redes e isso faz todo o sentido. O que teria sido de nós na era Mourinho sem o Vítor Baía? O Bayern seria tão imbatível sem Neuer?

    Em vez de se contratarem Hernanis para assistir aos jogos sentado, gastar esse dinheiro num guarda-redes.

    O Navas foi para Madrid e com a queda acentuada de forma do Casillas deve ser o titular da próxima temporada, portanto é carta fora do baralho. Fabiano não serve para equipa grande já todos percebemos isso, o Helton é grande mas não vai ficar mais novo, o Andrés Fernandez desapareceu e o Ricardo Nunes nem chegou a aparecer... precisamos de ter atenção a isto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda precisa de crescer, é um miúdo. Quando falo em adquirir um guarda-redes, é para ser titular indiscutível, se não for para jogar (como o Andrés) poupe-se o dinheiro.

      Eliminar
    2. O Navas poderia e deveria ser inserido no pacote Danilo...

      Aliás o Porto deveria de imediato accionar a opção de compra do Casemiro e se o Real quisesse, o vender de seguida pelo dobro ou triplo do preço do que o tinha acabado de comprar... Se o Porto fizesse esta "ameaça" e o Real quuisesse mesmo ter o Casemiro na próxima época, certamente nos facilitaria a um preço bem baixinho o Navas e aumentaria a oferta pelo Danilo para que a clausula de compra não fosse accionada, mas no Porto certamente temos pessoas inteligentes e capacitadas para este tipo de acções

      Eliminar
  7. O FCP não pode apostar só em nacionais, tem de continuar a apostar em jovens de outros países, nomeadamente sul americanos e africanos, isto se quisermos continuar a ter um clube cada vez menos regional - como cada menos vozes apregoam - e cada vez mais um clube mundial, ao lado de colossos como o Real Madrid, Barcelona, Bayern, etc.. Veja-se só a popularidade que um Brahimi, Herrera, Quinteto trazem consigo de seus respetivos países à página oficial no Facebook, ou curiosamente de fãs de Quaresma da Turquia.

    ResponderEliminar
  8. Ainda é cedo, mas deixar sair Oliver, Jackson e Danilo e as entradas (posições diferentes nestes 2 casos) serem Sergio Oliveira e André André até me deixa com medo. Nem um nem outro têm capacidade para jogar no Porto! Vamos aguardar porque muita coisa se vai passar até lá...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No inicio da época tambem ouvi imensas vezes que o Oliver não era jogador para o Porto...
      Pelo que se diz, foram escolhas de Lopetegui, a ser verdade, fico descansado...

      Eliminar
  9. Os prostíbulos da Capital andam atarefados nas suas lides, por isso, enquanto não conseguirem os seus intentos, os Ólivers, Danilos, Alex's e eventualmente outros, irão continuar a dar á estampa. Não acredito que a SAD não tenha definida a espinha dorsal do plantel para a próxima época, como também não acredito que os nossos interesses não estejam devidamente salvaguardados no dossier empréstimos. Temos de estar atentos mas não devemos desviar-nos do essencial : o apoio incondicional á equipa porque, acredito,seremos campeões se ganharmos os nossos jogos.

    ResponderEliminar
  10. Sérgio Oliveira para jogar a 6 só com duplo pivot, e mesmo assim tenho quase a certeza que não será titular no Fc Porto. Aliás se ele fosse tão bom, já teria lugar na selecção A.
    Portanto O FC Porto para o ano tem de escolher entre duas opções. Ou aposta só em jogadores de baixo custo e vai acabar por tornar-se outro Sporting, sem hipóteses de lutar pelo titulo ou terá de continuar a investir em jogadores que constituam efectivamente mais valias para manter o nível actual. O segredo está em ter critério, para não repetir por exemplo de Adrian Lopes que para mim foi o pior negocio que o Fc Porto fez este ano.
    Em resumo não é só com jogadores como Sergio e André André que o Porto lutará pelos seus objectivos, isso estou seguro disso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um jogador do Paços de Ferreira na selecção A? Até podia ser o Messi...
      É engraçado que os adeptos se queixam sempre de falta de jogadores Portugueses, mas quando é contratado algum, nunca presta...Não sei como é que querem jogar com mais Portugueses se "nenhum presta".

      Eliminar
  11. Se Casimiro sair, não creio que será Sérgio ou André o seu substituto. Algo estaria muito mal no Fc Porto para isso acontecer. Acabaria a ilusão de lutar por títulos, e o modelo de negocio do Fc Porto teria de mudar, porque não é com jogadores deste nível que o Fc Porto consegue realizar mais valias.

    ResponderEliminar
  12. Alguém me pode explicar, por palavras fáceis, o que é o fair-play financeiro?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tag «Fair Play Financeiro». Em palavras fáceis, o FPF consiste em não se gastar mais do que se ganha.

      Eliminar

  13. depois de tanto comentário, só me resta agradecer à Realidade não se confundir com jogos de computador, estilo FM Manager.
    ainda bem que o Clube, com tantos defeitos - afinal, nada nem ninguém são perfeitos - é gerido de dentro para fora. se se aposta em jovens valores nacionais e com investimento reduzido deveria ser o oposto; se não se o faz, há muito que já se deveria fazer; se não é do cu certamente será das calças; se não é das calças, é do cinto.
    enfim... Que haja muita paciência para os dias que se seguirão àquele em que o nosso querido líder já não estará ao comando dos destinos do nosso clube do coração. pela amostra, serão tempos muito difíceis...

    Miguel | Tomo III

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É lindo!!! E quando se vê malta a "pedir" um redes? Choro a rir. Seriam os mesmos que "despediram" o espanhol por querer um guarda redes? Mas creio que este tópico está comentado por uma faixa etária mais baixa que o costume. Só pode ser isso. Ainda vão aparecer aqui os comentários "O meu plantel para o ano" e tal. Com um finlandês espetacular, que aos 11 anos é um grande jogador... Apostas Miguel? ;)

      Eliminar
    2. Vocês descobriram um fenómeno a que se dá o nome de Opinião, os meus parabéns.

      Eliminar
  14. Alguém me pode explicar a participação da Doyen na carreira de Sérgio Oliveira? Tem parte do passe? É agenciado por eles?

    Isto não lembra a ninguém especialmente vindo do Paços com quem temos boas relações e acima de tudo tendo em conta que ele chegou a ser nosso...

    Sempre defendi os fundos pois sei que são importantes para podermos competir num futebol mundial cada vez mais desigual mas se os tentáculos já chegam aqui as coisas não estão famosas.

    ResponderEliminar
  15. TdD, gostava de uma opinião se não se importasse de tecer algumas considerações sobre o tema:

    A minha dúvida prende-se com o Diego Reyes. Segundo constou, este jogador teria muitos interessados no seu empréstimo no mercado de inverno mas o Lopetegui não o terá deixado sair.

    No entanto, tanto na equipa principal como na secundária, este jogador não tem tido minutos de jogo, o que não será positivo principalmente para um jogador com 22 anos que precisa de jogar para evoluir.

    Curiosamente, li este fim de semana que numa entrevista com Reyes ele terá afirmado que está muito bem no Porto e que todos os dias aprende uma coisa nova nos treinos.

    A minha questão é a seguinte: será que este jogador estará a ser preparado para outra posição, para outra função na equipa pelo treinador?

    Quando ele chegou ao Porto, afirmava-se que tanto poderia ser reforço para o centro da defesa como também se dizia que seria o futuro substituto do Fernando no Porto.

    Ora, olhando para o jogador, reconheço-lhe como suas principais qualidades a sua capacidade de antecipação e a apetência em sair a jogar com a bola da defesa. Para além disso, é um jogador relativamente rápido e alto (embora pouco robusto). Seja como for, não tem sido nem se prevê que vá ser, pelo menos a curto prazo, uma aposta para o centro da defesa, pois tem e terá certamente à sua frente vários jogadores que têm justificado plenamente a aposta.

    Assim pergunto, não seria este o possível sucessor do Casemiro caso ele não se mantenha para o ano?

    Vendo bem, o próprio Casemiro no início da época sofreu muita contestação, e estava longe do jogador que é agora. Posicionava-se mal o que fazia com que tivesse que recorrer constantemente à falta para travar os adversários e tinha grandes dificuldades no passe e na distribuição do jogo. Agora, passado pouco mais de meio ano, vê-se uma clara evolução do seu futebol, de tal modo que fez renascer o desejo do Real em contar com ele para a próxima temporada.

    Não poderia o Reyes ter um percurso semelhante?

    Se assim fosse, resolveríamos internamente dois "problemas": a substituição de um jogador sem ter de ir ao mercado e, simultâneamente, a recuperação de um investimento avultado sem qualquer retorno desportivo.

    Já agora, um aparte:

    Ouço aqui, como noutros locais, as mais variadas teorias do "apocalipse", que vamos deixar de ter equipas competitivas, que nos vamos tornar no novo sporting, etc..

    A esses arautos do caos devemos lembrar que as nossas maiores conquistas foram com equipas "low cost", maioritariamente "made in Portugal", e o futuro por aí deve passar...

    Este caminho que seguimos nos últimos anos não poder ser o padrão, o exemplo para os anos futuros...

    Temos agora o treinador certo para fazer aproveitar e fazer crescer a "prata da casa" (cantera e mercado interno), e temos certamente bons jogadores no nosso campeonato que podem vir a ser muito úteis ao Porto. Depois, as "grandes" compras dever-se-ão cingir a um ou outro jogador, mas pontualmente, com muito critério.

    De lembrar que para o ano que vem, em encargos com compras de jogadores já teremos de contar com o que teremos que desembolsar pelo Brahimi, pelo Aboubakar e possivelmente pelo Tello.

    Vitor

    ResponderEliminar
  16. Não me incomoda nada de sermos incubadora do Real e de outros grandes de Espanha agora para isso acontecer tem de haver condiçoes bem especificas...

    1) Empréstimos com opção de compra.

    Como o caso de Casemiro e com valores que possamos realmente comprar (como o caso de Casemiro e Tello).

    Aliás o caso de Casemiro é paredigmático...nós deveriamos de imediato accionar a clausula de compra e se o Real quisesse mesmo o Casemiro para o ano, então teria de nos deixar comprar e comprar de volta pelo nosso preço ou aumentar a oferta no pacote Danilo e incluir mais o Navas baratinho, por exemplo, o que me leva ao 2º ponto.

    2) Empréstimos com opção de compra e com opção de contra-compra.

    Como disse acima, deveriamos ter jogadores com opção de compra realisticas para a nossa realidade... para proteger o nosso investimento no jogador as clausulas deveriam ser realistas, imaginem clausula de compra 8M€... o clube que empresta, neste caso o Real deveria ter a oportunidade de anular a nossa opção de compra se nos pagasse o mesmo valor da nossa opção (ou 50%++ da nossa clausula de compra).

    Parece irrealista mas não é... Imaginem o caso... o Porto decide ficar agora com o Casemiro e o Real nada poderia fazer (se o jogador aceitasse é claro) se o Porto accionasse a opção de compra dos 8M€. Assim sendo estaria contratualmente vincado que em vez do Real ser obrigado a vender e depois negociar com o Porto para re-comprar, ficaria com a opção de accionar o contra-clausula.

    3) Empréstimos com opção de compra e com opção de recompra asssociado

    Isto é uma coisa que o Real e outras equipas espanholas já fazem com frequência... levam opção de compra e quanda a equipa destino a accionam, está estalecido em contrato qual é a opção de recompra por parte da equipa "mãe" (normalmente entre 2x-3x o valor da opção)... é um pouco como disse no ponto 2.

    4) Empréstimos sem opção de compra mas com paticipação a 80%, pelo menos, no ordenado do jogador.

    Esta será uma opção também muito interessante mas para ter apenas até ao máximo de 2 elementos nesta condição.

    Seria uma solucção que equivalia a um custo de poupança direta de 4-5M€ por ano, que seria o mesmo que poupar o investimento num jogador médio sem os custos de empresário, etc... envolvidos.

    Estariamos a valorizar elementos de outros clubes, mas estariamos a valorizar essencialmente o nosso sucesso desportivo e com menos gastos diretos associados e uma poupança real e direta.

    Teria de ser apenas 1 ou 2 elementos, pois esses eram garantidos(ou quase) que os perderiamos no final da época e ainda teriamos certamente que vender um 3º elemento titular para aguentar a vertente financeira.

    Em suma,
    Emprestados sim mas com vantagens para os dois clubes em ambas as vertentes (financeira e desportiva) e não só na vertente desportiva...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso é tudo muito bonito mas numa negociação há pelos menos duas vontades. Numa negociação também existe a concorrência de outros clubes.
      Ao negociar-se com o RM de certeza que é a vontade do Real prevalece, têm a faca e o queijo na mão. Eles têm muito clubes em Espanha e fora do país que aceitam as condições que impõem.
      Uma coisa são desejos, outra a realidade em que vivemos.
      Li que o FCP não tem cláusula de compra do Casemiro, apenas do Tello.

      Eliminar
    2. Que eu saiba não precisamos do Real para nada mas o Real precisa do Porto para muito...

      O Porto é uma equipa de Liga dos Campeões que potencia os jogadores a um nível elevadissimo e se o Real quiser que o Porto sirva os seus interesses então tem que se sugeitar ao que o Porto quer.

      Em relação ao Casemiro, temos clausula de compra sim senhor.

      Eliminar
  17. "O FC Porto vai ter que reduzir drasticamente os custos com pessoal na próxima época"

    Não vejo em que dados concretos assenta esta afirmação.

    Projectando 15/16 o que vejo é mais do mesmo, no que toca à massa salarial, pois claramente não passa pela cabeça de quem está na SAD passar de +71M€ para uns 60M€, devido às consequências desportivas que isso teria.

    É perfeitamente possível substituir, por exemplo, o Jackson e o Helton por jogadores de qualidade e baratos, mas esses ganhos não chegam para ficar abaixo dos 65M€ (isto sem prémios de campeonato). E esse valor já é uma previsão altamente optimista.

    Talvez esteja errado, mas não me parece, pois não há absolutamente nenhuma indicação em contrário.

    Cumprimentos.

    ResponderEliminar

  18. @ Carlos

    confundir bota-abaixismo puro com «opinião» é tão ridículo como os teus votos de parabéns. desculpa mas estás a confundir a árvore com a floresta e a Estrada da Beira com a beira da estrada.

    Miguel | Tomo III

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não apreciar o jogador A, B ou C é matéria de opinião, considerar que o clube deveria reforçar as posições D, E e F também, todo o adepto é treinador de bancada. Se te estás a referir aos comentários deste post, o único bota-abaixismo que encontro é precisamente no teu comentário e na primeira resposta ao mesmo. E digo isto com todo o respeito pelo bom trabalho que fazes na blogosfera portista.

      Eliminar

  19. @ Carlos

    sem pretender ofender seja quem for, pois não é esse o meu timbre:

    exemplos do que considero ser (de) bota-abaixismo:
    «O Sérgio Oliveira um pedido especial? Eu até acho que ele se calhar nem vai ficar na próxima época... duvido que vá ter muito espaço»

    «Não acho que o Sérgio Oliveira tenha qualidade para ser titular no FC Porto. Mais valia apostar em talentos como o Ruben Neves.»

    «partilho o receio que não pode ser "só com" Sergio's Oliveira's e André André's (menos o André, na minha opinião, pois acho que será um jogador bastante útil)»

    (a actual época desportiva ainda nem terminou e já se aventam suposições sobre a próxima... percebem-se os receios, mas a época 2015/2016 ainda não iniciou e já se tecem afirmações peremptórias, tal e qual como se fez, na presente, em relação a muitos dos actuais jogadores e que, então, se consideravam «nulidades»)


    exemplos do que considero ser (de) confundir a Realidade com jogos (tipo FM):
    «saída certa de Jackson, Danilo e Alex Sandro e as mais do que prováveis saída de Oliver, Tello e Casimiro, 6 jogadores titulares quem os vai substituir?»

    «acredito num emagrecimento brutal da carga salarial e como tal não me acredito nestes empréstimos com ordenados chorudos. Provavelmente esta época irão sair o Danilo e Jackson (quase garantidos), a juntar ao Herrera (hipervalorizado), Quintero (não rende) e A. Sandro (último ano de contrato).»

    «Sérgio Oliveira para jogar a 6 só com duplo pivot, e mesmo assim tenho quase a certeza que não será titular no FC Porto. Aliás se ele fosse tão bom, já teria lugar na selecção A.»
    (o Sergio é titular indiscutível na selecção sub-21...)

    «Que eu saiba não precisamos do Real para nada mas o Real precisa do Porto para muito»


    "I rest my case!"
    Miguel | Tomo III

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.