segunda-feira, 16 de março de 2015

Uma alternativa «interna» à PT

Muitos leitores têm pedido para abordar a questão dos patrocínios para a próxima época, pois a partir de 2015-16 acaba a ligação à PT. Sobram a Unicer e a Warrior (substituta da Nike) como patrocinadoras principais do FC Porto. Fernando Gomes já anunciou que estão à procura da third wheel, que desconheço quem seja ou possa ser. 

O impacto do fim da ligação à PT já aqui foi analisado. Estamos a falar de uma verba fixa que só cobre 3,19% das despesas operacionais para 2014-15. Mas consultando o Relatório e Contas da SAD vemos que as verbas a receber esta época servem de colateral para um crédito com um banco privado alemão, no valor de 2,244M€ (que já terá sido pago, pois venceu em Janeiro). Esta mesma instituição tem a receber 5,5M€, em duas prestações até Junho, com verbas a receber do apuramento para os 1/8 da Liga dos Campeões e das receitas de market pool da UEFA.

Nos últimos 10 anos, os encaixes com patrocínios não têm sofrido grandes oscilações. Mas o valor esperado para 2014-15 será o mais baixo dos últimos 8 anos, um dado que entra em claro contraste com o facto de este ser o orçamento mais elevado da história da SAD. 

Fonte: Relatórios e Contas da SAD | O Tribunal do Dragão
Na última década (o período tido em conta), só por uma vez a rubrica Publicidade e Sponsorização teve menos impacto nas receitas operacionais, isto tendo em conta os valores que foram apresentados no orçamento. Mas no que toca à fatia que cobre nos custos operacionais, é mesmo a percentagem mais baixa dos últimos 10 anos. A PortoComercial, sociedade participada, também angaria publicidade e a PortoMedia também o faz através do Porto Canal. Mas ainda assim, o FC Porto nunca atingiu a barreira dos 15M€. Consegui-lo-á na próxima época? Seria preciso a SAD sacar um trunfo de grande valor para inverter este ciclo.

Mas para já garantido está apenas o fim da ligação à PT. Sabemos que rende/rendia em média 3,65M€ por ano, fora variáveis por resultados desportivos (ser campeão, ir à Champions, etc.). Embora os patrocinadores tenham importância além do dinheiro que rendem (nomeadamente do ponto de vista estratégico), uma sociedade que apresenta orçamentos na casa da centena de milhões de euros não pode nunca dramatizar perante estes números. Sobretudo quando há despesas que se podem cortar que cobrem este valor.

E com isto chegamos aos jogadores emprestados. Nos primeiros 6 meses da época, o empréstimo de jogadores deu um prejuízo de 1,5M€.

Relatório e Contas do 1º semestre 2014-15 da SAD
Se tivermos em conta que em Janeiro saíram jogadores com vencimentos mais altos, como Tiago Rodrigues, Kelvin, Otávio, Rolando ou Kayembe, este valor tem tudo para terminar a época com mais do dobro (é possível que haja uma ligeira redução nos custos com pessoal do plantel, no entanto). Daí que urja arrumar a casa no fim da época, reduzindo a massa salarial através da saída de excedentários e do fim da dança de empréstimos entre jogadores que nunca vão jogar, e alguns que talvez nunca deviam ter jogado, no FC Porto.

Assim se suprime a saída da PT da lista de patrocinadores. Jamais será justificável, ou sequer admissível, dramatizar o fim desta ligação quando temos muito por onde cortar.

PS: O naming do Estádio do Dragão pode e deve ser considerado (vai acabar por acontecer com os 3 grandes, é uma questão de tempo). Não se chama Estádio Jorge Nuno Pinto da Costa por vontade do próprio presidente, logo não faz sentido pensar numa homenagem post mortem com algo rejeitado em vida. O «Dragão» ficaria sempre intacto (tal como no Dragão Caixa), logo não haveria um problema de identidade. Apenas um segundo nome que podia render uma importante fonte de receitas para as próximas épocas e que não beliscaria em nada a identidade do clube e do recinto.

22 comentários:

  1. Para mim, o maior problema é o acordo eminente do nosso maior rival com a emirates que os fará receber bem mais do que a PT lhes paga!
    E quanto mais receitas eles tiverem pior para nós!

    ResponderEliminar
  2. Boas tdd, alguma vez ouviu associar o nome azerbaijan land of fire e o FCP?

    Continuaçao de bons posts 😊

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só os rumores da imprensa francesa, que nunca tiveram desenvolvimentos.

      Eliminar
    2. Mas já se falou do gajo do azerbeijao comprar o clube (divida) e nos pagarmos em %s de vendas

      Eliminar
  3. Pegando no empresário azeri que queria investir no nosso clube poderia surgir um naming muito interessante quer em termos financeiros como a nível "estético". Algo de género Estádio do Dragão Land of fire (recordando a publicidade ao Atlético de Madrid) seria agradável ao ouvido e ao bolso também.

    ResponderEliminar
  4. Boa noite.
    Só queria perguntar porque é que os três grandes tem de "partilhar" os mesmos patrocínios?
    Será que o FC Porto não deveria ter os seu próprios patrocínios?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não têm nem o fazem. Os clubes podem e negoceiam livremente. Mas como o Sporting não é tão rentável como Benfica e FC Porto em termos de patrocínios, agora o mesmo sujeito que cortou relações com os 2 clubes chora por uma absurda e hipotética centralização de patrocínios. Hipocrisia pura e dura, mas desta vez pelo menos poupou-se ao ridículo de o dizer publicamente.

      Não viram ninguém do Benfica queixar-se dos patrocínios do FC Porto nem vice-versa. Este choradinho só podia vir de um único sujeito.

      Eliminar
    2. Boas, se não o disseram publicamente como é que sabe?

      Eliminar
    3. Produto da nova estratégia de comunicação: conferências de imprensa à porta fechada, semi off the record. Nem o Poiares Maduro pensou com tanto brilhantismo.

      Eliminar
  5. Sem dúvida o naming do estádio parece-me ser uma excelente alternativa e que deve ser considerada, mas se não conseguimos arranjar interessados para third wheel, vamos arranjar para o naming do estádio? Que terá de ser por um valor consideravelmente superior, julgo eu!

    A questão é que em Portugal não me parece que vá haver alguém com capacidade (leia-se, tomates - por tudo o que sabemos) para assumir a nossa third wheel, portanto creio que terá de passar pelo estrangeiro.

    ResponderEliminar
  6. Via com muitos bons olhos que o novo patrocínio fosse ibérico!

    Quanto ao nome do Estádio do Dragão: se nos pagarem, qualquer dia também jogamos de vermelho e águia ao peito, só para não perdermos vantagem competitiva... Hoje é o dedo, amanhã o braço...

    Uma coisa começa por ter identidade pela sua forma, pelos seus contornos e fronteiras...o nome da nossa casa é o primeiro dos limites: daí, não se passa...!!!

    Hoje é o nome do estádio, amanhã é o Mammadov ou o Abramovich a 4!

    ResponderEliminar
  7. já agora: qual o impacto financeiro da Warrior nas contas do F.C. do Porto? & mudança de "nome" da Warrior terá algum impacto?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não são conhecidos mas está claro, pelas contas de 2014-15, que não são superiores aos que a Nike rendia.

      Eliminar
  8. O grupo PT é um NOJO autêntico da capital que anda a sujar o nosso manto sagrado desde 2003/2004.
    Ainda se pagasse alguma coisa de jeito, mas só passar o play-off da Champions dá mais que isso!! Lol

    Se não se arranjar nada, (o que duvido, deve haver forte interesse do estrangeiro em patrocinar o nosso clube) que se coloque a SUPER BOCK na frente das camisolas.

    Quanto ao naming do estádio, posso bem com isso desde que dê dinheiro que se veja.
    Mas para mim, no futuro, o estádio vai ter que se chamar: "ESTÁDIO JORGE NUNO PINTO DA COSTA". Isso é indiscutível!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não será uma falta de respeito para com o Presidente? Ele disse que não o queria (e bem a meu ver), portanto deve ser assunto encerrado.

      Eliminar
  9. Correio da manha:www.cmjornal.xl.pt/tv_media/detalhe/porto_canal_ganha_luta_entre_clubes.html

    ResponderEliminar
  10. TdD obrigado pela resposta, fui um dos que perguntou sobre os patrocinios.
    No entanto acho que se está a relacionar duas coisas que não estão relacionadas. Quando diz:
    " Sobretudo quando há despesas que se podem cortar que cobrem este valor." referindo-se aos jogadores emprestados, este é uma despesa que se tem que cortar independentemente das receitas (ou perdas de receitas) que se tem.
    Em relação ao Patrocinio espero não é por se cortar uma despesa, que se deixa de ter necessidade/objectivo de ter mais receita

    ResponderEliminar
  11. A Turkish Airlines começa a voar a partir do Porto em Abril. Why not?

    ResponderEliminar
  12. Com o prestigio alcancado não tenho duvidas nenhumas que a Sad arranjará, com maior ou menor dificuldade, um patrocionador a altura dos nossos pregaminhos e é bom não esquecer que o segredo nestas coisas é fulcral. Estou muito confiante

    ResponderEliminar
  13. Publicidade e Sponsorização no 1º semestre:

    14/15 6.866 (12.876 orçamento)
    13/14 7.516 (13.594 12 meses)
    -0.65M€

    Parece-me bastante claro que se a SAD não conseguir fazer um negócio fabuloso com as camisolas o valor não só vai descer esta época como na próxima, voltando para a casa dos 11M€.

    Cumprimentos.

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.