sábado, 7 de junho de 2014

Silvestre Varela: está na hora

Revista Sábado
Cinco épocas, 11 títulos, 195 jogos (top 50 do clube), 47 golos marcados (top 40 do clube). Contrato até 2016, 29 anos. Silvestre Varela, único jogador do FC Porto a representar Portugal no Mundial, assume que chegou a altura de se fechar um ciclo no Dragão. Com razão?

É a primeira vez que o extremo assume publicamente que quer sair. O que não significa que seja a primeira vez que tem esta intenção. Em 2012, chegaram várias abordagens ao FC Porto. Algumas descartadas por Varela, todas pelo clube. O empresário, Paulo Barbosa, dizia ao jornal O Jogo. «Acham que o Varela ia deixar o FC Porto para ir para um Atlético de Madrid, um Génova ou um Saragoça?». Nesse defeso, Falcao, Belluschi e Rúben Micael saíram para esses clubes, respectivamente. Quantos jogadores da liga portuguesa recusariam o Atlético?

Varela foi premiado com renovação de contrato, até 2016, nesse ano. Cumpriu a época 2012-13 e completou o tricampeonato. Como outros jogadores, entendeu que estava na hora de sair e comunicou-o à SAD, perante propostas de Inglaterra e Alemanha. Já com 28 anos, as oportunidades não iriam abundar muito mais. Tudo tratado devidamente: entre jogador e dirigentes e não na praça pública.
Em 2012, não queria o Atlético
de Madrid. Quantos fariam o mesmo?

O falhanço na procura de extremos (Ricardo, Licá e Josué foram os reforços para as alas) de qualidade superior levou a que a saída de Varela fosse vetada. Tanto para Paulo Fonseca como para a SAD tornou-se essencial a permanência. «Temos quatro ou cinco alas, além da experiência e qualidade do Varela». Repare-se que foi o único jogador a merecer uma apreciação individual de Antero Henrique na entrevista a O Jogo, em outubro de 2013.

Depois de um ano com muita contrariedade à mistura, chegou a altura de deixar Silvestre Varela sair. Já não há argumentos para impedir o desejo do jogador. Deixar sair Lucho González, o capitão de equipa, em janeiro, foi abrir o precedente para que outros jogadores exijam que também não lhes neguem a oportunidade de ir ao encontro de um contrato mais vantajoso financeiramente.

E se no caso de Lucho a ambição era exclusivamente monetária quando rumou ao Qatar, Varela tem o desejo desportivo de experimentar outra liga europeia. Não é mal remunerado no FC Porto (tem a receber 2,4 milhões de euros até ao fim do contrato), mas um clube que se enuncia como sendo «vendedor», no qual os jogadores «têm ciclos de três anos», mas se pode chocar perante isto.

Em saldos, não. Mas permitir que Varela e o seu representante ofereçam uma solução satisfatória para todas as partes, sim. Mas até ao momento, não há propostas.

Contratos a dois anos do seu termo, sobretudo para jogadores que não são trintões, devem levar sempre o clube à reflexão: é para renovar ou para sair? Nesse caso, Varela é apenas um dos 10 casos do plantel principal a resolver.

Dez jogadores a dois anos do fim de contrato: quase um 11 titular.

2 comentários:

  1. Por 10 milhões seria bem vendido.

    ResponderEliminar
  2. sim... e agradecer por tudo é um exemplo a seguir , não é nenhum astro mas tem a sua qualidade e ajudou muito o porto!!! desejo-lhe a maior das sorte na sua nova aventura ...

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.