sexta-feira, 6 de junho de 2014

O valor de Jackson Martínez

Vítor Pereira: «Eu, como treinador, e os adeptos devem ter um orgulho muito grande num ponta de lança de grande nível como este», abril de 2013

Pinto da Costa: «O Jackson Martinez foi o Atleta do ano, mas mais do que do que Atleta do Ano deve ser considerado o Homem do Ano. Pela maneira de ser, pela sua seriedade, pelo profissionalismo, pelo espírito de coletivo que sempre demonstrou», setembro de 2013

Paulo Fonseca: «É o melhor profissional que já encontrei», março de 2014

Treinador e presidente são - ou devem ser - as vozes supremas em qualquer balneário e qualquer clube. Jackson Martínez já exprimiu a intenção de sair anteriormente e declarações destas nunca podem reunir simpatia dos adeptos. Já foi assobiado, inclusive acusado de não sentir a camisola, mas os números dizem...

1. Duas vezes consecutivas melhor marcador do campeonato, algo que ninguém conseguia desde Mário Jardel.
2. Já é o 24º melhor marcador da história do FC Porto, com 60 golos, em apenas duas épocas. Se mantivesse a média em 2014-15, igualava António Oliveira, com 90, no 12º lugar.
3. É o mais valioso ativo do FC Porto no mercado, na medida que é um dos poucos atletas de cotação europeia que a SAD detém a 100% e vai ao Mundial 2014.

Jackson: render no campo
ou na SAD?
Além disto, Jackson Martínez resistiu a uma novela de troca de empresários, de uma renovação de contrato cujos primeiros contactos foram feitos há mais de um ano e à pior época sob a presidência de Pinto da Costa. Mesmo assim, foi o melhor marcador em Portugal e tornou-se no terceiro jogador da história do futebol mundial a marcar em seis competições no mesmo ano, igualando Messi e Pedro Rodríguez, do Barcelona.

De Inglaterra as ofertas nunca abundaram - só mesmo através dos jornais locais -, em Itália há mercado mas pouco disposto a pagar muito. Surge por isso o Valência, que após a reestruturação financeira terá em Jackson uma prioridade para reforçar o ataque.

Por menos de 30 milhões de euros não haverá negócio. O FC Porto nunca vende pela cláusula de rescisão, mas no caso de Jackson, se é certo que financeiramente poderá ser essencial para cumprir com as obrigações da SAD (que não são poucas), desportivamente não será fácil encontrar uma garantia de qualidade a este nível.

A permanência implicará uma renovação de contrato, colocando Jackson Martínez como o mais bem pago no plantel; a saída obrigará a uma investida no mercado para a qual o FC Porto, felizmente, já está preparado, embora Pinto da Costa não esteja convencido quanto à necessidade de vender o Homem do Ano. Certo é que está a caminho dos 28 anos e, depois desta idade, contam-se pelos dedos os avançados que conseguiram ser vendidos por mais de 30 milhões de euros. Financeiramente, o momento para vender Jackson é este; desportivamente, não.

0 comentários:

Enviar um comentário

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.