terça-feira, 1 de julho de 2014

A corda não rompeu mas ninguém a largou

Terminou, oficialmente, a época 2013-14. Depois dos maus resultados desportivos, surge hoje a garantia de que a SAD poderá repetir, rondar ou até superar os números de 2011-12, quando fechou a temporada com 35,7 milhões de euros de prejuízo.

Pinto da Costa resistiu.
Mas até quando?
O FC Porto teve prejuízos de 12,4 milhões no 1º trimestre, 29,2 milhões após o segundo e 38,7 milhões no final do terceiro. As previsões apontavam para a necessidade de um encaixe com mais-valias nunca inferiores a 40 milhões de euros com transferências e Angelino Ferreira, antes de sair da SAD, confirmou ao JN que a má prestação na Champions também ia abrir um buraco de 8 milhões de euros no orçamento.

Tomemos como ponto de referência o 3º trimestre, onde se registava um prejuízo recorde de 38,7 milhões de euros. As únicas transferências incluídas até aqui foram as de Atsu, por 3 milhões (o FC Porto ficou reduzido a 75% do passe antes da transferência, que esteve a cargo de Alexandre Pinto da Costa), com mais-valia de praticamente 2 milhões, e Otamendi, vendido ao Valência por 12 milhões e a gerar uma mais-valia de 7,9 milhões de euros. O caso de Walter, pela particularidade do negócio (obrigado a renovar devido ao empréstimo ao Fluminense e às obrigações com a terceira parte), não entra na equação e não vai gerar uma mais-valia significativa pelos 25% alienados (a SAD ficou com 15%). Acrescenta-se a venda de Iturbe, por cerca de 6,75 milhões de euros, com a mais-valia ainda por calcular, e Castro, por cerca de dois milhões de euros.

Fernando foi a única venda a entrar no último trimestre e, por si só, não vai reduzir os 38,7 milhões de euros de prejuízo nos primeiros nove meses, na medida em que as actividades correntes do clube não asseguram a auto-sustentabilidade da SAD. O negócio já aqui foi tema de destaque, mas só vai ser esclarecido em outubro. O Tribunal do Dragão ouviu que a SAD iria declarar e pagar impostos sobre os 15 milhões de euros, já anunciados, mas que após o acordo revelado por Pinto da Costa com Fernando e António Araújo a parte que caberia ao FC Porto seria de apenas sensivelmente 7 milhões de euros (à partida a SAD só teria direito a 12 milhões, por ter 80% do passe). Desconhece-se como a SAD irá distribuir as parcelas (alienação antecipada do passe ou distribuição mediante o acordo para a transferência para o City) e é algo que só será esclarecido em outubro, sendo certo que tudo será melhor do que a saída a custo zero.
Venda de Fernando
de pouco valeu

A venda de Mangala não seria suficiente para tapar o buraco, enquanto para Jackson Martínez virtualmente só o pagamento da cláusula de rescisão de 40 milhões salvaria o exercício. Mas afinal Pinto da Costa não fez bluff quando afirmou que não estava com disposição imediata para vender, tal como Mangala não fez bluff quando afirmou que só quer ver propostas depois do Mundial. E falamos em Pinto da Costa por estar no topo na hierarquia, pois o mercado de transferências obedece essencialmente aos empresários e representantes destacados para cada jogador e por cada clube e o dia-a-dia da SAD está cada vez mais sob gestão da dupla Antero Henrique e Adelino Caldeira, com Pinto da Costa a limitar-se a um processo de supervisão e decisão - a última e mais importante parte.

O FC Porto vai fechar 2013-14 com um prejuízo que dificilmente não será o maior da história da SAD. Em sentido inverso, e embora as obrigações correntes se mantenham e continuem a ter que ser cumpridas, surge a possibilidade de começar a inverter o rumo em 2014-15, com as futuras vendas a entrar já na nova época. Agora sem deadline que não o do fecho de mercado de transferências, mas exactamente com o mesmo princípio: vender para comprar

Mangala firme na
sua posição
Pinto da Costa continua a insistir que entre Mangala e Jackson Martínez só sairá um (e deve ser o único a acreditar que é possível manter um), e o facto de para isso ter «sacrificado» as contas de 2013-14 mostram que não era bluff. Para Mangala já há sucessor (Martins Indi, com quem há acordo com Feyenoord e jogador, embora a oficialização só deva ser concretizada depois do Mundial - e é bom que o seja o quanto antes, pois a palavra vale cada vez menos no futebol), apesar do francês não estar convencido quanto ao convite do City (que paga 40 milhões pelo total da operação), enquanto que para o lugar de Jackson Martínez não há nenhum nome apontado pela imprensa que de facto esteja a ser negociado pelo FC Porto. Pode ser um sinal da intransigência e decisão de Pinto da Costa, mas apesar da equipa sombra ser um mito importa estar precavido para uma eventual loucura de Peter Lim.

Porque importa esclarecer: apesar de na imprensa portuguesa se ler quase todos os dias que Peter Lim é dono do Valência, isso não é verdade. Pelo contrário, as negociações com a Fundação Valência arrastam-se há semanas e têm causado grande celeuma em Espanha, basta ler a imprensa local. Jorge Mendes vai fazendo a sua parte, e entretanto até conseguiu que Carlos Carneiro, do Paços de Ferreira, assumi-se o cargo directivo do histórico Rufete (pausa para rir), mas sem acordo com a Fundação Peter Lim não pode investir na condição de dono do Valência. 

E o Atlético de Madrid, que já apresentou uma proposta concreta por Jackson, tem a seu lado o facto do colombiano preferir jogar no campeão espanhol do que num clube que não vai à UEFA. E segundo conta a imprensa espanhola, pode tentar tirar Keylor Navas do radar do Dragão. O FC Porto já tem acordo com o jogador, mas a valorização no Mundial pode levar o Levante a encaminhá-lo para quem pague mais. E hoje em dia, nenhum jogador abdica do vice-campeão europeu pela Liga ZON Sagres (ou Liga NOS Sagres?). É de uma ingenuidade que só o clubismo pode disfarçar pensar o contrário.

A transição de 30 de junho para 1 de julho faz reset na vertente contabilística das épocas, mas as obrigações continuam a ter que ser cumpridas à margem do exercício em questão. A época 2013-14 confirma-se, nos dois campos, desportivo e financeiro, a pior da história do clube desde a criação da SAD. A Pinto da Costa, Antero Henrique, Adelino Caldeira e restante SAD cabe a missão de restaurar a força do clube em todos os campos.

Equipa B arrancou
Entretanto, teve início a pré-época da equipa B do FC Porto, devidamente assinalado no site do clube, embora seja lamentável que a lista do plantel ainda tenha os nomes da época passada. Luís Castro teve bons resultados na última época, mas a articulação entre Vítor Pereira e Rui Gomes e entre Paulo Fonseca e Luís Castro foi uma desilusão. A equipa B tem que jogar com o mesmo modelo da equipa A e titularidades por «decreto» só mesmo para preparar determinado jogador para assumir determinada posição na formação principal. Algo a corrigir neste terceiro ano de equipa B.

Luís Castro deve ser
o número 2 de Lopetegui
Ao contrário do inicialmente previsto e aqui escrito, Nuno Capucho mantém-se para já na equipa técnica, depois de ter estado à beira de assinar pelo Braga B, que no final optou por Fernando Pereira. Paulinho Santos, Daniel Correia e José Tavares completam a equipa técnica, que se espera que entre em total sintonia e concordância com Lopetegui.

Um olhar aos reforços. O Tribunal do Dragão já tinha anunciado Braima Candé. Honestamente, um jogador que dificilmente interessaria se não fosse do Sporting - já agora, de elogiar o bom senso de promover Idrisa aos sub-19, apesar de oficialmente ainda ter idade juvenil. O dinamarquês Malthe Johanson e o chileno Igor Lichnovsky também já aqui tinham sido falados.

Célestin Djim, um avançado belga, é o mais recente nome a aproveitar a estrada entre Porto e Liège, sempre percorrida aos pares: Mangala e Defour em 2011, com posterior alienação de passes, Bolat e Kayembe em 2013 e agora Opare e Djim. Sempre pelas mesmas mãos.

Pité é um dos bons valores da segunda liga agarrado a tempo e horas, ao contrário do que foi feito, por exemplo, com Rafa há um ano. Elvis já era um nome conhecido, enquanto a mais recente novidade é Roniel, produto de uma referida visita neste espaço ao Brasil, até porque também esteve perto de Braga - para onde acabou por rumar Pedro Monteiro, o potencial substituto de Tiago Ferreira, que apesar de ser apresentado na lista provisória que abaixo citamos não deve ficar no FC Porto.

De fazer notar que Mikel e Tozé (que pode ser emprestado por duas épocas, o que diz tudo sobre os planos que o FC Porto tem para este jogador) não vão regressar à equipa B, mas Kayembe e Gonçalo Paciência poderão aqui rodar com regularidade, mediante o que decidir Lopetegui na pré-época da equipa A.

Eis o plantel provisório: Caio e Filipe Ferreira (guarda-redes); Braima Candé, Igor Lichnovsky, Malthe Johansen, Tiago Ferreira, Zé António e Junior (defesas); Leandro, Rúben Neves, Graça, Élvis, Rui Moreira e Pité (médios); Frederic, Célestin, Roniel, Idrisa, Ruben Alves, Sérgio Ribeiro, Ruben Macedo e Rui Pedro (avançados).

12 comentários:

  1. Cada vez menos acredito na entrada de Keylor Navas, tal como referido no seu texto, se o interesse do Atlético Madrid for verdadeiro, não me parece que um jogador prefira vir para a liga portuguesa após fazer um grande Mundial. Também acho que Pinto da Costa está a fazer de tudo para manter Jackson Martinez, até porque esta é uma posição dificil de arranjar bons jogadores, mas acho que a sua ambição (do jogador) não vai permitir a sua permanência, sendo que eu concordo, já não é novo e esta é uma oportunidade/novo desafio de jogar numa liga mais competitiva.

    ResponderEliminar
  2. Gostaria de perguntar também se Tello está num bom caminho e se Suso ainda é hipótese?

    ResponderEliminar
  3. Não há nada a acrescentar ao que já tem saído na imprensa. Duas hipóteses, a primeira neste momento mais forte do que a segunda, apesar de à partida ser mais fácil chegar à segunda do que à primeira.

    ResponderEliminar
  4. Antes de mais parabéns pelo Blog. Noticias e relatos sobre a vida do clube, escritos de forma simples e inteligente. Tornei-me leitor assíduo :)

    Relativamente às contas, gostaria de colocar duas questões:
    1. A venda do Iturbe não entre igualmente nas contas do ultimo trimestre, à semelhança da venda do Fernando?
    2. Que consequências poderá ter para o clube um prejuízo tal como esperado, à luz do Fair Play financeiro da Uefa? Julgo que existe uma regra que estipula o prejuízo máximo que os clubes podem suportar.

    Se souber e puder responder a estas perguntas, eu agradeço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 1. Iturbe devidamente incluído, tal como o Castro.
      2. Nenhum clube português está a cumprir com o fair-play financeiro. Até há bem pouco tempo éramos o clube mais bem posicionado, mas o SLB pelo menos no final de 2013-14 estará melhor que nós, por causa das vendas.

      Sinceramente, continuo a crer que poucos clubes estão a levar o fair-play financeiro a sério, na medida em que se guiam pelo pensamento «os outros estão pior, primeiro têm que castigá-los a eles».

      Não sei em que medida a troca de Angelino Ferreira por Fernando Gomes, que no fecho de 2013-14 a única aparição pública que fez foi para comentar a liderança do PS, terá mudado o pensamento da SAD. Ainda é cedo para perceber isso.

      Eliminar
  5. Uns são filhos outros são enteados? ToZé nem uma hipótese tem?! O melhor jogador da equipa B por 2 épocas consecutivas?
    Sera que tem que se naturalizar colombiano ou pertencer à Gestifute para ter uma oportunidade no nosso clube?
    Por favor, isto dá-me asco.

    ResponderEliminar
  6. Boas Tribunal do Dragão. Navas daquilo que depreendo, será muito complicado... e com o interesse do Real segundo se consta ( este já não virá). No entanto, sem o mister ter visto os redes que temos, não seria melhor investir noutras áreas mais urgentes e depois dalguns treinos, ver se esta posição merecia algum reforço.
    Agora e depois da sua análise, dá para concluir que Jackson e Mangala dificilmente ficarão... apesar do nosso Presidente querer manter o primeiro.
    E quanto ao Tozé, é emprestimo com ou sem Opção de Compra ? Seria um indicio bom, se fosse SEM opção.
    Obrigado

    ResponderEliminar
  7. Apesar de não estar aí o Marko Pavlovski também faz parte da equipa, mas ainda não treinou.

    ResponderEliminar
  8. Com a oficialização de Diego Costa no Chelsea o mercado vai começar a bombar,estou em crer que o Atlético de Madrid nos venha roubar Jackson Martinez !! Tenho mais felling que vá rumar ao Atlético que ao Valencia ....
    O que diz o Tribunal sobre uma possivél tranferencia de JM ?? Acha que sai ou PdC não vai deixar saír JM ???

    ResponderEliminar
  9. Boas, TdD, e o Francisco Ramos? Qual o futuro dele? equipa B? ou vai embora?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Calma, está na selecção, juntamente com Rafa, Tomás, Ivo e André Silva.

      Eliminar
  10. Olá
    Estou a chegar a estas paragens e estou a apreciar o que tenho lido.
    parabéns pelo blog...porque «não é mais um»...
    Cumprs
    Augusto

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.