segunda-feira, 7 de julho de 2014

O FC Porto está a cumprir o fair play financeiro? Fizemos as contas. E já foram mais animadoras

O fair play financeiro (FPF) da UEFA, criado em 2009 e implementado a partir da época 2011-12 para o primeiro período de avaliação, promete combater e acabar com os envidamentos crescentes dos clubes, as falências técnicas e encurtar o grande fosso entre os clubes ricos e os demais. Michel Platini não é um nome querido para o FC Porto, mas o seu trabalho na UEFA tem tido vários pontos positivos, não só a implementação do FPF como o combate à falta de transparência dos fundos de investimento - que não têm que ser eliminados, mas têm que ser esmiuçados e reformulados quanto ao seu papel no mundo do futebol. Um tema para outra altura.
Aperto no cinto
começa a urgir

O FPF tem sido consideravelmente desvalorizado. Em Portugal, é um tema que passa à margem da imprensa desportiva e a que nem a especializada (Diário Económico e Jornal de Negócios) tem dado grande atenção. O jornal Público tem sido o único a dar alguma relevância periódica a este tema, mas sem responder: o FC Porto está mesmo a cumprir o FPF? N'O Tribunal do Dragão fizemos as contas... e os resultados não são animadores.

Como funciona e o que está em causa

Na prática, o FPF pretende que os custos operacionais dos clubes sejam sustentados pelas receitas operacionais. Para a primeira parte são contabilizadas as receitas com transferências, patrocínios, direitos de transmissão e comercialização de produtos com marca dos clubes. Quanto aos custos operacionais, incluem todos os salários, transferências e custos correntes. Mas nas transferências há um dado a ter em conta.

Por exemplo. O primeiro período em análise para o FPF foi de 2011-12 a 2012-13. Jackson Martínez custou 8,88 milhões de euros. Como o período em análise é de 2 anos e Jackson chegou apenas em 2012, não vão ser contabilizados os 8,88 milhões de euros. O valor total da transferência vai ser dividido pelo número de anos de contrato. Isto é, a despesa com a transferência de Jackson para o primeiro período em análise foi de 2,22 milhões de euros. Com os salários, também é feita a contabilização anual. Posto isto, vamos às contas.

Para o período inicial, entre 2011-12 e 2012-13, o FC Porto não podia apresentar um défice negativo que fosse além dos 5 a 45 milhões de euros. Em 2011-12 a SAD acabou com um prejuízo de 35,7 milhões de euros, enquanto em 2012-13 houve um lucro de 20,3 milhões. Assim, o FC Porto passou no primeiro período de análise com um prejuízo de 15,4 milhões de euros, dentro do admitido. Mas...

FC Porto arrisca punição
para a próxima análise
Tecnicamente, a UEFA só admite prejuízos até 5 milhões de euros por exercício em análise. O resultado negativo pode esticar-se até 45 milhões de euros, mas neste caso o valor negativo acima dos 5 milhões tem que ser suportado pelos proprietários do clube, ou através do lançamento de novas acções que sejam subscritas na íntegra pelos accionistas. O défice pode ainda ser justificado com operações realizadas até junho de 2010, com investimentos nas infraestruturas ou na formação (nenhuma despesa na formação é contabilizada para o FPF, que também pretende incentivar à aposta nas camadas jovens).

Risco já na próxima análise

O FC Porto não fez parte da lista de clubes punidos para 2014-15, ao contrário do Manchester City e do PSG. A punição a estes 2 clubes foi o alerta que faltava: a UEFA não terá problemas em atacar os ditos tubarões controlados por magnatas.  Segundo os regulamentos do FPF, qualquer clube tem obrigatoriamente de ser punido caso registe perdas superiores a 45 milhões de euros. O segundo período em análise vai desde 2011-12 a 2013-14, de 3 anos. E aqui as coisas podem complicar-se para o FC Porto.

Há uma forte (diria mesmo inevitável) possibilidade do FC Porto ultrapassar os 45 milhões de euros de prejuízo nos últimos 3 anos. Para já, sabemos que as duas primeiras épocas deram um prejuízo de 15,4 milhões. Signfica que para o limite não ser excedido, a época 2013-14 não poderia fechar com um prejuízo superior a 29,6 milhões de euros. Algo que é quase inevitável que vá acontecer. Surgem, desde já, duas consequências e dois desafios para a SAD: justificar pelo menos em parte o défice operacional e perceber em que medida a direcção e/ou accionistas poderão ter que avançar com a cobertura de parte do montante negativo.

Exigências do FPF
crescem a partir de 2015
Para o 3º período em análise, de 2012 a 2015, o desafio cresce, pois só pode ser apresentado um resultado negativo de 30 milhões de euros (embora aqui já não entre o enorme buraco de 2011-12). Mas para o 4º período, de 2013 a 2016, também já não entrarão os 20,3 milhões de euros de lucro em 2012-13 e o limite continuará a estar nos 30 milhões de euros negativos.

O FC Porto não vai correr, pelo menos para já, o risco de ser excluído da UEFA (o Sporting leva um registo negativo de quase 90 milhões de euros na avaliação do PFP e não foi punido, enquanto o Benfica, que em 2012-13 estava pior que o FC Porto, passa a uma situação mais controlada no final de 2013-14), mas há outro tipo de sanções, que podem passar pela retenção de prémios da UEFA, limite de inscrição de jogadores, criação de tecto salarial e/ou investimento em transferências, dedução de pontos e até a necessidade da UEFA passar a controlar trimestralmente as contas dos clubes.

Se ainda há quem não leve o fair play financeiro a sério, é bom que o comece a fazer.

24 comentários:

  1. Uma sugestão. Porque não falar sobre o museu? Sabe-se que foi construído e pago por brasileiros, mas não se sabe quanto custou ao certo. Mais importante, está a render? E a parceria com o BMG, que prometia Bernards, onde ficou??

    ResponderEliminar
  2. Está enganado, o museu não foi construído por brasileiros, mas sim por uma empresa nortenha. De qualquer forma não é tema que possa ser abordado, por falta de dados concretos e comprováveis suficientes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Navas tem proposta do bayer e pelos vistos está interessado em ir!
      Tribunal que tem a dizer sobre isto?

      Eliminar
    2. Caro Tribunal, nenhum comentário pertinente, da Fuga do Oblack... por exemplo ? :D
      Navas já foi :| ( Bayern, para suplente) ; M'boli - redes da Argélia ?
      O mais estranho, nada de médio defensivo... nem um para Amostra...
      Extremo, Brahimi muito caro... Nojito ? Só para picar os rivais ?
      Avançado Jimenez, o jogador está muito barato e o FCP quer oferecer MAIS ?
      Mais algum nome na Mesa ?

      Eliminar
    3. Paulo Sérgio Portugal Malheiro, até agora ainda não vi nada oficializado, como é que o Navas já foi?

      Eliminar
  3. Obrigado pela análise, extremamente relevante, e "esquecida" por cá. Ainda muitos adeptos acham que o Fair Play Financeiro só vai afectar os "Sheiks". É preciso também contar com a possibilidade de haver alguma moderação no mercado fruto de maior contenção. Se tal acontecer, não podemos ser os últimos a perceber, sob pena de ficarmos com activos pagos a peso de ouro e em que a única saída é o prejuízo. Se deixarem de haver vendas de 30m não podem continuar a haver compras de 10m. Aconteça o que acontecer, a margem para "tiros ao lado" reduz-se de ano para ano.

    ResponderEliminar
  4. Só de realçar que tem razão em tudo, mas que ainda há gente para sair do clube logo não há muito que preocupar sobre isso.
    Assim como o BMG não prometeu nada Artur Moreira, ninguém chegou a prometer sem ser as capas de jornais e a verdade é que o BMG tinha acordo com o Porto e Bernard para vir para cá, mas o Porto não tinha dinheiro suficiente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Bernard foi dado como certo pela própria SAD (não publicamente, como é óbvio, mas numa novela desta dimensão era impossível não haver fugas). Os jornais, aliás, até foram bastante conservadores. O Jogo, por exemplo, apoiou-se nas palavras do pai do Bernard para o aproximar do FC Porto, porque de resto houve sempre conservadorismo por parte da imprensa.

      Desportivamente teria sido de grande valia, mas financeiramente ainda bem que não cometemos essa loucura. Pensar, por exemplo, que estivemos quase a contratar o Diego Maurício em 2011 por 15 milhões de euros... Está hoje no Setúbal.

      Eliminar
  5. Tello mais um que fugiu e este para os lados de Valência, passam os dias e não se vê nada de novo arrasta-se as negociações, muita especulação mas nada se confirma.

    ResponderEliminar
  6. 13:05 hoje ate a esta hora que apontei no inicio do comentario ja foram apontados jogadores ao porto que dao quase para fazer uma equipa secalhar o pintinho vai criiar uma equipa senior de futebol da dragon force

    ResponderEliminar
  7. Tello fechado TdD?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fechado só quando for oficializado ou pelo menos estiver tudo assinado, o que à data de hoje ainda não aconteceu.

      Eliminar
    2. Mas, na iminência de, correto? Relativamente à posição 6 pouco ou nada se tem falado e, vários jornais já o deram como perdido.

      Eliminar
    3. Da iminência ao concretizado ainda vai uma distância que não vale a pena antecipar. Aliás, atentos às palavras do empresário de Tello n'O Jogo de hoje.

      Eliminar
    4. Humm que grande novela

      Eliminar
  8. Estou a gostar muito de Lopetegui!!! Liderança, disciplina, estratégia, e não vai ter medo de apostar nos jovens. Mais importante já se percebeu que vai ter o balneário na linha, coisa que não havia há 1 ano!FORÇA PORTO

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem lê O Tribunal do Dragão já percebeu que aqui há apoio para Lopetegui, mas pelos vistos também há memória curta em quem o lê. Com Paulo Fonseca as coisas também começaram bem, e não foi só com uma repreensão ao Kelvin, foi a ponto de mandar toda a gente para o balneário na primeira semana e de pouco depois aparecerem Helton, Lucho e Mangala a pedir desculpas pelo comportamento no treino. Com Paulo Fonseca as coisas arrancaram maravilhosamente bem e depois foi o que foi, Lopetegui é mais exigente (a novidade é que não o é apenas com os jogadores!), mas o deslumbramento não é positivo.

      Eliminar
  9. nao sou o mesmo anonimo do coment de cima mas... eu nao estou deslubrado com lupetegui chegar a um clube depois de um dos piores anos da historia ver o que esta ou estava mal e mudar isso ate eu sabia fazer, bastava ter apoio de bastidores ou seja da direçao... eu quero é resultados
    ja agora nao estou deslumbrado na quantidade de dinheiro que se fala que o porto pode vir a gastar em reforços, é gr, é extremos, é pl, é mais mediso, presisam-se trincos
    esperemos mais 1 ou 2 semanas para ver no que da... afinal o lupe disse que esperava ter ate ai o plantel fechado

    ResponderEliminar
  10. eu tenho uma ideia para combater esta cena do FPF e fazer um bom encaixe financeiro, vai parecer mau mas estou a ser realista...
    mangala-40 milhoes
    jackson-30/35
    defour-15/20
    lica-10/15

    agora vao ou ja estao se a rir do que eu disse devido a lica nao é para rir tou a ser serio, agora que o jorge mendes esta com grandes relaçoes de novo com o PdC e ate tem o patrocinio da gestifute nas telas do olival era fazer com ele enfie o lica ao man.united por esses valores... o united presisa do lica para o lugar do nani que se diz que vai sair... e agora voces dizem "ah e tal o lica nao ia jogar" oh ta bem e agora eu respondo "e por acaso o nani joga no united?" e a uns anos deram 20 e tal milhoes por ele... tem logica ha que aproveitar

    ResponderEliminar
  11. É verdade que o Antero está em Barcelona a tentar fechar o Tello? Pensava que era o Pinto da Costa a tomar conta disto, tendo em conta as boas relações com o Barcelona. Admira-me que seja o Antero...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já aqui tinha sido escrito na semana passada:

      «De referir que Antero Henrique está a liderar as negociações para a aquisição de Tello e que outra opção na liga espanhola, Brahimi, está a cargo de Alexandre Pinto da Costa, também com a participação de um fundo, o mesmo empresário que teve Casemiro pronto para o FC Porto mas que «subitamente» ficou mais perto do futebol italiano.»

      Pinto da Costa, regra quase geral nos últimos 3 anos, não trata de transferências. Delega responsabilidades, não as exerce. Antero Henrique, Adelino Caldeira e Alexandre Pinto da Costa são os homens de terreno que por sua vez também destacam terceiros para as negociações.

      Eliminar
  12. Explicação muito clara, TdD, parabéns pelo post e obrigado.

    Pode indicar o link da(s) notícias(s) do Publico sobre este tema? Sugere algum artigo estrangeiro que se debruce sobre o FPF?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Do Público, consulte este separador: www.publico.pt/fair-play-financeiro

      A nível de imprensa estrangeira, temos aqui tudo explicado: http://www.financialfairplay.co.uk/financial-fair-play-explained.php

      Eliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.